sexta-feira

4 - Não se deixe influenciar

4 Workshop Super Empreendedoras

Certo dia um escritor acompanhou um amigo até a banca de jornal onde este costumava comprar o seu exemplar diariamente. Ao se aproximarem do balcão, seu amigo cumprimentou amavelmente o jornaleiro e como retorno recebeu um tratamento rude e grosseiro.
O amigo pegou o jornal, que foi jogado em sua direção, sorriu, agradeceu e desejou um bom dia ao jornaleiro.
Quando ambos caminhavam pela rua, o escritor perguntou ao seu amigo:
– Ele sempre o trata assim, com tanta grosseria? – Sim – respondeu o rapaz. Infelizmente é sempre assim… – E você é sempre tão polido e amigável com ele? – perguntou o escritor admirado. – Sim, eu sou… – respondeu prontamente seu amigo. – E por que você é educado, se ele é tão grosseiro e inamistoso com você? – Ora – respondeu o jovem. Por que não quero que ele decida como eu devo ser.
Conclusão: Não deixe que o mau-humor, a grosseria, a falta de educação lhe influenciem. O que você é, não depende dos outros. Decida você, como vai ser o seu dia, como você irá ver a vida e como irá vivê-la. Mostre que tem muito mais a oferecer do que uma cara emburrada ou uma resposta mal dada.
Não deixe que a atitude de outrem modifique o que você tem de bom ou conduza os princípios da sua vida.

Viva como as flores

- Mestre, como faço para não me aborrecer?  Algumas pessoas falam demais, outras são ignorantes.
Algumas são indiferentes. Sinto ódio das que são mentirosas. Sofro com as que caluniam.

- Pois viva como as flores, advertiu o mestre.

- Como é viver como as flores? - Perguntou o discípulo.

- Repare nestas flores, continuou o mestre, apontando lírios que cresciam no jardim. Elas nascem no esterco, entretanto, são puras e perfumadas. Extraem do adubo malcheiroso tudo que lhes é útil e saudável, mas não permitem que o azedume da terra manche o frescor de suas pétalas. É justo angustiar-se com as próprias culpas, mas não é sábio permitir que os vícios dos outros o importunem.
Os defeitos deles são deles e não seus.  Se não são seus, não há razão para aborrecimento. Exercite, pois, a virtude de rejeitar todo mal que vem de fora. Isso é viver como as flores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário